Skip to content

REAPRESENTAÇÃO NESTA SEXTA

“Agora é trocar o chip e pensar no CRB”, diz Wagner Lopes

19/11/2021 | 2h13

Virar a chave e pensar exclusivamente nos dois jogos finais pela Série B do Brasileirão. Essa foi a recomendação do treinador Wagner Lopes aos seus comandados, após o Vitória cair nos pênaltis e ser eliminado da fase de grupos da Copa do Nordeste em 2022.

Wagner reconhece que não há tempo para lamentações. O que passou não volta mais. “Não adianta a gente ficar pensando no que aconteceu”, afirma.

O time se reapresenta na manhã desta sexta-feira e terá três sessões de treinamentos até a partida contra o CRB, segunda-feira (21), em Maceió. Treina nesta sexta, sábado e domingo, todos pela manhã, e no domingo à tarde viaja para a capital alagoana.

“Eu como treinador assumo a responsabilidade pela desclassificação. A gente sabe que dói, é doído. Não só financeiramente, mas também dentro de casa. A gente precisa ter forças, pensamento positivo pare recuperar os jogadores, uma palavra de incentivo para cobrar, nossa cobrança interna será sempre forte, leal, mas forte. Então, agora é trocar o chip e pensar no CRB”, disse na entrevista pós-jogo.

Pela segunda vez – a primeira foi em 2016 – o Vitória fica de fora da Copa do Nordeste. O Rubro-Negro é o maior vencedor da competição nordestina com cinco títulos – incluindo o da Copa José Américo, que originou a Copa do Nordeste.

Sobre o jogo desta quinta-feira, quando o Vitória marcou 2 a 0, foi para o intervalo, cedeu o empate no 2º tempo e acabou eliminado nos pênaltis, Wagner comentou:

“Nós diminuímos o poder de concentração. Em uma bola parada, em um escanteio, houve o desencaixe na marcação e tomamos o gol. O segundo foi um chute de fora da área, não diminuímos para encurtar a batida, e na reação nós deixamos o atacante tomar a frente. São erros que a gente comete. Óbvio que ninguém quer cometer erros. Mas custaram dois gols. Depois, nos pênaltis, infelizmente, não tivemos a tranquilidade para vencer. A gente no intervalo pontuou que era um resultado perigoso, que tinha que entrar com a mesma atenção, a mesma concentração, mas não conseguimos”.

FOTO: Ascom/ECV